Pages

sábado, 24 de maio de 2014

Quem é Mudança?



24 de maio de 2014 às 8:10 - TG - Blog Thisa Galvão

O PMDB vai insistir na palavra Mudança na campanha que está só começando.
Mas, o cenário que está posto no Rio Grande do Norte cabe tudo, menos a palavra mudança.
Mudar de onde pra onde?
É como aquela brincadeira do grilo.
Cadê o grilo? Tá lá atrás.
Aí você vai para trás e quando vê já está no mesmo lugar de antes.
É esse o retrato do quadro político no Rio Grande do Norte.

Vamos por partes:
Na chapa puxada pelo deputado Henrique Alves (PMDB) com a vice-prefeita Wilma de Faria (PSB, quem é mudança?

Henrique é deputado federal há 44 anos. Sempre participou dos governos estaduais. Sempre deixou muito claro que, na intenção de ajudar ao Rio Grande do Norte, pega os governadores pelo braço e abre as portas de Brasília.
Logo, Henrique faz parte dessa história.
Desses 44 anos de governo.

Wilma de Faria foi prefeita de Natal por 3 mandatos.
Governadora por dois.
Não é mudança.

Na chapa que ainda está sendo formada e que tem o vice-governador Robinson Faria (PSD) como pré-candidato a governador e a deputada Fátima Bezerra (PT) como pré-candidata ao Senado.
Robinson foi deputado quase 20 anos e durante 8 foi presidente da Assembleia Legislativa.
Período em que, como presidente, na gestão da então governadora Wilma de Faria, chegou a assumir o Governo do Estado por 10 dias.
Também foi eleito vice da governadora Rosalba e chegou a assumir o Governo antes de romper, logo no início da gestão.
E considerando que a Presidência da Assembleia é um poder paralelo, o pré-candidato também não é mudança.

Fátima é deputada federal no terceiro mandato.
Foi estadual duas vezes.
Aliada do governo federal desde a primeira gestão Lula, sempre mostrou ao Rio Grande do Norte que, por causa disso, muito tem feito por Natal e pelo Estado.
Foi várias vezes candidata ao Governo e à Prefeitura de Natal.
É mudança?
Não.

E se a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) for candidata à reeleição?
Governadora por um mandato, senadora, candidata à vice-governadora, prefeita de Mossoró por 3 mandatos.
É mudança?
Não.

Portanto, a palavra Mudança pode caber em tudo, menos na regrinha do eleitor potiguar.
Que hoje sabe de tudo.
Inocente.

Fonte:  TG - Blog Thisa Galvão




sábado, 17 de maio de 2014

Quando se chocar com a direita brasileira, pense na dos EUA

Qualquer brasileiro politizado e instruído que não seja muito rico e que não integre algum esquema empresarial ou político com interesses conflitantes com um mínimo de decência humana, teme e repudia o pensamento legítimo de direita e o ideário sobre organização social que essa ideologia luta para que se torne hegemônico nos quatro cantos da Terra.
Nem precisa ser “socialista”, seja lá isso o que for em um mundo atolado até o pescoço no capitalismo, que, por definição, significa a valorização do dinheiro em detrimento do ser humano. Sejamos honestos: se você não for canalha ou ignorante, entende que o pensamento de direita se baseia no egoísmo e na desonestidade intelectual.
O pensamento de direita só faria sentido em uma sociedade sem desigualdade de oportunidades, pois tal ideário se baseia na premissa do “mérito” sem levar em conta que vencer na vida (nos estudos e no trabalho, sobretudo) também depende de vantagens que as crianças e adolescentes recebem de herança dos pais.
Um dos exemplos mais eloquentes sobre como o ideário de direita é desonesto se encontra no sistema que impõe aos estudantes que disputam vagas no ensino público superior. Os vestibulares são uma aberração. Põem jovens paupérrimos, sem o mínimo acesso a bens culturais, para disputar vagas com jovens ricos que estudaram em escolas de excelência.
Grande mérito, o dos que chegam na frente…
Os ideólogos desse pensamento bárbaro e injusto, acalentado e difundido pela máquina de comunicação que a riqueza de que dispõe a direita impôs à humanidade, infectam qualquer sociedade livre, sendo sua verborragia obscena o preço a pagar pelas liberdades individuais. Temos que ser livres até para sermos os piores canalhas que se possa conceber.
No Brasil, a nossa direita choca as pessoas decentes e humanas mesmo que não tenham ideologia e politização. Muitos se chocam com o pensamento de direita sem nem saberem que é um pensamento político-ideológico.
Que cidadão decente, minimamente sensível e razoavelmente humanista pode concordar com o comportamento de alguém como o deputado Jair Bolsonaro, com seu racismo galopante, sua homofobia descontrolada e sua truculência (inclusive física) escancarada?
Bolsonaro, porém, não passa de expressão da direita desinibida, daquela que não tem vergonha de se assumir. Mas há outros expoentes desse pensamento que tentam disfarçar seus pendores autoritários, antidemocráticos, desumanos, egoístas.
Um Reinaldo Azevedo (colunista e blogueiro da revista Veja), por exemplo, simboliza a direita dissimulada, que não tem coragem de assumir seu ódio à diferença, seu apreço pela desigualdade, sua crença inabalável na segregação racial e social etc. Aliás, a própria revista, ou melhor, o próprio Grupo Abril é uma máquina de propaganda da direita, ou da ultradireita.
Só para abreviar este capítulo da direita brasileira, recorro ao verbete da Editora Abril na Wikipedia, de modo a resumir a natureza desse grupo empresarial:
—–
“(…) Em 5 de maio de 2006, a empresa de mídia sul-africana Naspers adquiriu 30% das ações do Grupo Abril. Para tanto, pagou 422 milhões de dólares. Tratou-se da terceira transação a fazer uso das possibilidades abertas pela emenda constitucional nº 36, de 2002, que permite a presença de capital estrangeiro em empresas jornalísticas e de radiodifusão – antes completamente vedada – até o limite de 30%.
O novo dispositivo constitucional fora ‘inaugurado’ pela própria Abril, quando, em agosto de 2004, ela recebeu um aporte do fundo de investimentos Capital Group, que passou a deter 13,8% da empresa. A Naspers foi um dos esteios do regime do apartheid na África do Sul e prosperou com a segregação racial(…)”
—–
Precisa dizer mais?
Enfim, a direita brasileira é horrorosa. Chocante mesmo. Sua luta incansável contra o programa Bolsa Família, programa emergencial para socorro de legiões de miseráveis que vem sendo elogiado e copiado até por grandes e prósperas democracias, resume o ideário da direita brasileira.
Ainda assim, há um certo pudor da “nossa” direita em assumir seu egoísmo imanente. Nunca se viu essa manifestação da maldade e do ódio chegar ao ponto de pregar contra o precário sistema público de saúde que o Brasil construiu e que, a duras penas, garante a cada brasileiro que não morra à míngua sem qualquer atendimento.
Ou seja: a direita brasileira tem limites, voluntária ou involuntariamente.
Quando se olha para o que a direita norte-americana fez com o país mais rico e desenvolvido do mundo, chega-se a dar graças a Deus pela direita que infesta o nosso país. Pode ser considerada altamente progressista, sob tal comparação.
Reflita, leitor, sobre o que a direita dos Estados Unidos vem fazendo nessa questão do orçamento federal. Está sabotando não só o próprio país, mas o mundo.
Em um momento em que a potência hegemônica começa a se recuperar dos estragos que o partido Republicano causou ao longo da primeira década do século XXI, esse partido se nega a aprovar o orçamento federal caso o presidente Barack Obama não retroceda da implantação de um arremedo de sistema público de saúde que mal chega aos pés do nosso SUS.
A conduta dos republicanos é tão imoral que chocou até a nossa direita. Na edição do Jornal da Globo da última terça-feira, até o colunista Arnaldo Jabor se insurgiu contra seus congêneres ideológicos norte-americanos. Sim, Jabor, que vive a vituperar contra “esquerdismo” em seus comentários naquele telejornal.
Reproduzo, abaixo, o comentário dele sobre o que está perpetrando o partido republicano.
—–
O Obama disse bem: o país está ameaçado por uma cruzada ideológica de direita… É isso, a alma republicana não admite a lei de assistência médica que beneficia 15% do povo, que não pode pagar.
Eles não admitem que pobres sejam ajudados porque, para americano, pobre é vagabundo, fracassado, e ninguém pode pagar por ele.
Dizem que ele nem é americano, o Obama. Que é comunista…
O partido Republicano está dominado pelo Tea Party e seu líder disse: ‘A lei da saúde é a mais sórdida lei que o ser humano já conheceu…’
O SUS americano, o ‘Obamacare’, já foi votado há três anos e o supremo tribunal federal já referendou, mas os republicanos querem chantagear o presidente de qualquer maneira, mesmo quebrando a América.
Sabe o que é isso, os Estados Unidos dando calote em suas dívidas? Imagine a repercussão no mundo, já em crise…
Mas os canalhas não ligam, são irracionais e loucos mesmo. Não se conformam com um presidente negro, preocupado com questões sociais, querendo taxar mais os ricos. Há racismo nisso, sim. Forte.
E há o desejo de destruir o seu mandato. E pior: além da chantagem, querem culpar o Obama pelo impasse, fingindo que querem negociar.
Já são quatro anos de sabotagem. Obama está definhando, mas não vai ceder. Só negocia se deixarem a saúde intacta.
Ele está certo. É melhor enfrentar essa chantagem, e sua desgraça, do que continuar essa ópera bufa
—–
Alguns dirão que é demagogia de Jabor, que, como a Globo, vem tentando melhorar a própria imagem. Mas esse pudor da direita brasileira mostra a distância que, graças a Deus, ainda separa os ideólogos de direita desta nação e os seus homólogos estadunidenses.
E note, leitor, que o sistema de saúde de Obama nem é um SUS da vida. Na verdade, para simplificar, trata-se de um mega plano de saúde estatal para que os mais pobres possam recorrer à medicina privada. E cheio de limites de coberturas que, em nosso sistema de saúde público, não há.
O egoísmo, pois, é uma instituição americana. A mentalidade do americano médio o faz levar os psicopatas do partido Republicano ao poder a intervalos tantos, o que faz com que o país mais desenvolvido da face da Terra tenha a menor expectativa de vida entre os países desenvolvidos. Além de pobreza e desigualdade que não se vê em nenhum país rico.
A boa notícia é que a nossa direita é mais envergonhada que a deles e não tem coragem de ir tão fundo nesse culto obsceno ao egoísmo, à desumanidade, à canalhice em estado puro. A má notícia é que essa mesma direita brasileira acredita que, um dia, poderá reproduzir por aqui a imoralidade vigente no sistema de organização social norte-americano.

Fonte:
Blog da Cidadania



quinta-feira, 8 de maio de 2014

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Para Refletir...

Apesar do silêncio da imprensa – parece que só o Blog ouviu – 20 mil torcedores
foram testemunhas da vaia recebida pelo governadorável Henrique Alves (PMDB) 
ontem à noite no estádio Arena das Dunas, quando o presidente da Câmara Federal 
foi citado durante a premiação do América, que sagrou-se campeão estadual após
um zero a zero com o Globo de Ceará-Mirim.
E o que significa uma vaia dentro de um estádio com 20 mil pessoas?
Uma vaia…
Sinal de que o povo anda desafinado com a política e com os políticos.
Uma vaia direcionada a Henrique, apontado hoje como formulador de um acordão
feito entre partidos e políticos até bem pouco tempo adversários-inimigos, apenas 
naintenção de ganhar a eleição de outubro?
Sim. E não.
Quem mais teria levado uma vaia ao ser citado após uma partida de futebol, ainda
mais na final de um campeonato estadual?
Qualquer político.
A vaia fenomenal significa a derrota de Henrique nas eleições de outubro?
Não.
Significa que o povo prefere Robinson Faria?
Não.
Significa que o povo está de saco cheio da política e que está dando apenas o
 sinal de como vai se comportar daqui pra frente.
Alerta para que os pré-candidatos abram do olho e entendam que a realidade hoje
 não é a realidade de quando eles – quase todos da mesma linhagem da política
 antiga – começaram a subir nos palanques.
É hora de mudar o discurso…de mudar as companhias…de mudar os projetos.
Tempos outros para um Brasil onde todo mundo tem na mão uma TV Globo, um
jornal de circulação nacional, uma emissora de rádio de maior audiência, um blog
de muitos acessos.
A vaia é um recado, não para Henrique, mas para todos que vislumbram um cargo
 eletivo.
E é notícia, seja na imprensa colorida, marrom ou preta e branca.
Mesmo que desagrade a muitos. Mas não dá para dizer que não é notícia.
Basta ser jornalista para entender assim.

Fonte:
http://www.thaisagalvao.com.br/

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Direito e Cidadania


Na  sexta feira passada dia 31/01/2014 precisei utilizar o caixa eletrônico do Banco do Brasil. Por volta das 16:00h quando cheguei havia algumas pessoas e informaram que a máquina estava quebrada. Também fiz algumas tentativas e constatei. Não foi possível usar. Verifiquei que na tela constavam vários telefones 0800, Usando o celular achei até que não seria atendido, mas na segunda tentativa fui muito bem atendido e a senhorita  indicou que nestas condições, deveria  ligar para outro numero 0800.


Prossegui, o rapaz que me atendeu anotou tudo e informou o numero da ocorrência 27703100 e que o prazo para a resposta seria dia 07 fevereiro 2014. Reclamei que seria muito tempo para esperar, mas insisti e solicitei que acrescentasse mais duas perguntas:

     1) Qual a previsão da troca da máquina? Muito antiga, parte do visor estar quebrado  e  que constantemente apresenta problemas e a população de 13 mil pessoas da Cidade de Upanema-RN  depende dela.
      2) Qual a agencia do BB é responsável pela manutenção, conserto e abastecimento desta máquina?

Não votei ao caixa eletrônico nestes últimos dias.  Não sei o que ocorreu se já consertaram, mas hoje recebi o seguinte e-mail:



Prezado Sr. Jose Mario,

Em atenção à sua manifestação, registrada no Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC BB, sob nº 29703100, informamos que foram tomadas as providências necessárias à manutenção corretiva do terminal 72553 localizado PM-UPANEMA-R.JOAO FRANCISCO,90.


Prestadas essas informações, reafirmamos nosso compromisso com o melhor atendimento e permanecemos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos que se fizerem necessários, por meio de sua agência de relacionamento, em horário de atendimento ao público, ou pelos demais canais:


 Central de Atendimento (saldos, extratos, cartões, pagamentos, transferências, resgates e outras transações bancárias, elogio e sugestão) - 4004 0001 ou 0800 729 0001 - atendimento humano, nos dias úteis, das 7h às 22h, e autoatendimento, 24h, todos os dias da semana;


 SAC - Serviço de Atendimento ao Consumidor (informações, dúvida, reclamação, suspensão ou cancelamento de contratos e de serviços) - 0800 729 0722, 24h, todos os dias da semana;

Portal BB - www.bb.com.br;

Ouvidoria BB, para situações não solucionadas pelo atendimento habitual - 0800 729 5678 - em horário comercial - das 8h às 18h - de 2a a 6a feira, exceto dias não úteis;

Para deficientes auditivos ou de fala - 0800 729 0088.

Atenciosamente,

Elizabete R. do Vale

Assistente

Ocorrência Nr.:         29703100

  Para novo contato, acesse a página do Banco do Brasil - Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC, ou telefone para 0800.729.0722 Ouvidoria BB 0800.729.5678 Deficientes auditivos ou de fala - 0800.729.0088


Agradeço a atenção do Banco do Brasil. Muito prestativo atendeu antes do prazo, o e-mail, que seria dia 07 fevereiro 2014, mas não informou quando a maquina voltou a operar, ou seja,  faltaram  as outras respostas. Diante disso respondi ao e-mail com o seguinte conteúdo:

  Prezada Elizabete.

  Obrigado pela presteza. Mas faltou informar:

1- Qual o dia e hora que o terminal voltou a funcionar?
2- Na ocorrência 29703100 solicitei  mais 02 informações que o atendente informou que havia acrescentado e não fui atendido.
   a) Qual a previsão da troca da máquina? (muito antiga- parte do visor quebrado) que constantemente apresenta problemas e a população de 13 mil pessoas da Cidade de Upanema-RN  depende dela.
   b) Qual a agencia do BB é responsável pela manutenção, conserto e abastecimento desta máquina?

Sds.
José Mário


Nota do Blog:    (1) Primeira lição – precisamos usar os canais legais, neste caso o 0800.  Mesmo não atendendo totalmente, pelo menos o Banco se manifestou.

                       (2) Segunda lição – O banco e seus representantes  precisam tomarem conhecimento da importância deste caixa para o município e a população de Upanema. E provavelmente  a melhor maneira deles enxergarem é cada  cidadão quando se sentir prejudicado reclamar.  Afinal de contas, pagamos taxas e impostos muitos caros pelo que recebemos.


quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Parabéns

Parabéns Janari , você é fera 2014 - Direito UFRN 

Nossa família esta feliz pela conquista. Agradecemos primeiro a Deus e a todos que contribuíram com você, desde a sua primeira professora no maternal  aos últimos do ano que passou. Aos familiares, parentes e amigos   que lhe deram forças e lhe apoiaram neste objetivo.  Que Deus lhe guie neste novo desafio. Parabéns!

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Um ano sem TV

Estamos chegando ao fim de dezembro, nossa cidade completará um ano sem o sinal de TV que, diariamente retransmitia uma hora de programação voltada para o Município de Upanema.  Das 11:00 as 12:00 h revezávamos com programas religiosos, aniversários, eventos, festas, educação e futebol. Sem contar com a grade comercial, representada pelos mais variados comércios.
A transmissão dos campeonatos, as entrevistas com as pessoas nas festas e eventos. Os programas religiosos, as opiniões dos jovens estudantes e universitários e a programação cultural desapareceram. As homenagens, as criticas, os elogios, o debate e as ideias também sumiram.
Nossa Cidade ficou sem voz.

Reprodução: Edição 92 - Jornal de Upanema - Dez 2013 - coluna - José Mário

sábado, 9 de novembro de 2013

A quem reclamar?

Estamos vivendo um problema serio com a falta d’água em nossa cidade nos últimos dias.  Todos sabem que é em decorrência na melhoria da BR 110. Muito bom, a estrada vai ficar com acostamento para que a população possa caminhar e de um modo geral vai trazer mais segurança para quem trafega.  Mais há necessidade de se tomar providencias. A Caern não pode deixar um equipamento de plantão para resolver a toda hora a quebra de canos.  E a população não pode ser penalizada pela falta d’água.  Acredito que já estar na hora das autoridades do Município agirem. No mínimo, precisa ser assunto na pauta das próximas reuniões da câmara Municipal.